BOAS PRÁTICAS

04/08/2022

Como (e quando) pedir um empréstimo para alavancar o seu negócio?

Muitos dos pequenos empreendedores têm dificuldade de fazer um investimento maior no seu negócio para aumentar o tamanho de sua empresa. Os empréstimos podem tanto servir para quem quer fazer essas mudanças e crescer quanto para quem quer começar um novo negócio mas precisa de capital. Mas pegar dinheiro emprestado precisa ser uma ação pensada, calculada e executada a longo prazo, e para isso é necessário muito planejamento e organização. Nesse texto vamos falar um pouco sobre o que temos que ter em mente na hora de pegar um empréstimo e dar dicas para você decidir se está na hora de pedir um empréstimo para alavancar seu negócio.

Quem pode pedir empréstimo?

Tanto as pessoas físicas quanto as jurídicas podem pedir empréstimos. Se der para não misturar a vida financeira da sua empresa com a sua vida financeira pessoal, é melhor, mas sabemos que nem sempre isso é possível. As opções para quem tem CNPJ costumam ser um pouco melhores e ter menos juros, apesar de serem mais difíceis de se conseguir.

Seja qual for a modalidade, para pedir um empréstimo ao banco geralmente é necessário cumprir esses requisitos:

  • ter entre 18 e 79 anos;
  • residir no Brasil ou ser brasileiro;
  • apresentar CPF e RG;
  • apresentar comprovante de renda e de residência;
  • não possuir restrições de crédito;
  • ter bom histórico de pagamento.

Quais os tipos de empréstimo?

O empréstimo pessoal, ou seja, para pessoa física, é mais simples. Hoje, é muito fácil pegar empréstimos nos bancos digitais por exemplo, e inclusive é um dos principais produtos do banco, que faz de tudo para que você ache vantajoso pegar esse dinheiro. O problema é que a taxa de juros desse tipo de empréstimo costuma ser bem alta e você só tem até 72 meses para pagar (seis anos). Mas se você pedir um tempo maior para pagar, de dois anos pra cima, é bem capaz de pagar duas ou três vezes o valor inicial no total.

Já o empréstimo com garantia, como um carro ou um imóvel, as taxas de juros diminuem bastante e você tem até 240 meses (20 anos) para quitar. Isso porque o banco quase não tem nenhum risco ao emprestar o dinheiro, já que se você ficar sem pagar, eles podem pegar a garantia.

Para a pessoa jurídica que está começando seu negócio agora, o microcrédito pode ser a melhor opção. Os juros são baixos, mas o tempo é pequeno, são apenas dois anos para você pagar. Nesse caso, se você precisa de uma quantia menor de dinheiro apenas para dar o gatilho inicial do seu negócio e sabe que em dois anos já terá recuperado aquele dinheiro, essa modalidade é eficiente.

Como me planejar para pegar um empréstimo?

A primeira coisa é saber se você precisa mesmo desse empréstimo ou se só está entusiasmado com a ideia de ter um dinheiro fácil. Essa pode ser uma furada! O dinheiro emprestado custa bem mais que o dinheiro não emprestado, por causa das taxas de juros, então se não é absolutamente necessário, é melhor não pegar. A ideia do empréstimo funciona bem para quem precisa fazer um investimento no negócio sabendo que esse investimento vai compensar.

Por exemplo: você é marceneiro e seus clientes sempre perguntam se você consegue fazer peças com cantos arredondados, mas você não tem uma máquina para esse tipo de corte. Nesse caso, pode ser uma boa ideia pegar o dinheiro emprestado para comprar essa máquina, porque o lucro que você terá vendendo essas novas peças vai ajudar a compensar o custo do empréstimo e das taxas, e depois a máquina será sua para sempre.

Então você decidiu que vai pegar o empréstimo. Os detalhes desse empréstimo, como qual o melhor tipo, o valor, quanto tempo você vai precisar para pagar, etc, você precisa ver com calma. Para isso, pode ajudar fazer um plano de negócios. Inclua dados como: quanto sua empresa lucra atualmente por mês?, você tem capacidade de absorver o valor da parcela do empréstimo nos seus gastos mensais?, como esse empréstimo vai ajudar sua empresa a crescer e lucrar mais?

Também é bom conhecer o que os bancos estão oferecendo, para então decidir qual se adequa melhor a sua realidade. Estude as opções do mercado e entenda as vantagens e desvantagens de cada modalidade. Se ficar com dúvidas, vá ao banco e resolva as questões com um funcionário que vai te explicar o que você precisa para ser aprovado e quais são os critérios.

Peguei o empréstimo, mas e agora?

Em todas as etapas do processo, se atente ao plano. Pode ser tentador ter muito dinheiro de uma vez na mão, mas lembre-se de que gastá-lo da maneira correta é importante para que você consiga pagar o empréstimo o mais rápido possível.

Você pode usar esse dinheiro para investir na empresa de várias formas, como:

  • investir em capacitação para os profissionais;
  • comprar maquinaria permanente;
  • automatizar processos;
  • tirar ideias do papel.

Como vimos, pegar um empréstimo pode ser uma boa para quem tem um plano de negócio estabelecido, entende seus ganhos e gastos e tem vontade de investir na empresa. Para quem está começando, é uma oportunidade de parar de sonhar e conseguir realizar. Nos dois casos, é preciso organização e planejamento para que o empréstimo seja viável e se transforme em capital da sua empresa, e não em apenas uma dívida. Entender o negócio que você tem nas mãos é crucial para começar essa empreitada. Após o empréstimo, é fazer o controle das finanças e se organizar para ficar livre dele o mais rápido possível!

Fonte: Sebrae

Compartilhe!

Artigos relacionados

FORÇA-TAREFA

ACS: AMD Hortifrutigranjeiros renova a identidade visual

09/06/2022

Ler mais
ACOMPANHE

Vencedora das Olimpíadas Estudantis, E. M. Adjuto Botelho recebe premiação

01/12/2020

Ler mais
FORÇA-TAREFA

Lançamento da campanha “Rede Solidária: Faça Parte”

28/07/2020

Ler mais

Apoie os produtores e iniciativas locais!

Inscreva-se na nossa lista de transmissão

Inscreva-se